12.11.12

I present to you this blog and the blogger




“Mia nasceu em Lisboa. Desde cedo que fazia desfiles com a roupa da mãe e das tias. Hoje, diz que tem um fraquinho pela moda. Licenciou-se em Ciência Politica e Relações Internacionais pois assuntos de Estado, filosofias e teorias intrigam-na. Está a fazer o mestrado em Ciências da Comunicação enquanto trabalha numa agência de marketing. Mia, como era tratada durante a infância, chega sempre atrasada, para promover o seu próprio ritmo, claro está! Ser distraída nada tem a ver com o assunto. É extrovertida, canta e dança sempre que pode, e escreve. Com a cabeça no ar, a imaginação pode voar à vontade e meio-termo é uma expressão que não lhe diz muito. Não sabe o que quer, mas sabe que não quer ficar para trás. Quer deixar a sua marca no mundo mas não através da cozinha. Não gosta de pessoas que não se importam e a insensibilidade faz-lhe comichão. É romântica mas diz que não. Até dizer que sim.”


Na vida. Nos outros. Sabes que gosto genuinamente de escrever. E as pessoas, os locais, os espaços inspiram-me. Muitas vezes é uma frase solta num filme, uma frase perdida numa conversa entre amigos. Os meus posts mais informativos e por assim dizer menos pessoais estão relacionados com marcas e produtos que vou tendo oportunidade de conhecer. E aqueles que me impactarem, podem contar com a minha opinião. É muito difícil dizer de onde surge a inspiração porque ela surge onde menos se espera. Escrever é um processo criativo que não tem hora ou regra e eu gosto que seja assim.


Sou fã da Sophia de Mello Breyner. Da autora destaco a Fada Oriana ou a Menina do Mar. Desde pequenina que li sempre muito. Refugiava-me entre pacotes de bolachas nos livros dos Cinco e de Uma Aventura, e também gostei muito da Anita, pois claro!


Eu vivo com os meus pais, mas se vivesse sozinha acho que pouca coisa. Iogurtes, porque eu ando sempre a correr e preciso de coisas práticas, cogumelos frescos porque sou viciada neles e queijo de todas as formas e feitios. Depois no armário ao lado encontravam de certeza uns chocolatinhos… O meu frigorífico não é grande exemplo mas sou um bom garfo. Pode parecer contraditório, mas é mesmo assim. Sou um bocado tipo grávida com desejos em relação à comida, mas claro que sou domada pelo ambiente familiar que me obriga a comer normalmente. Quando fico um mês sozinha alimento-me muito à base de coisas congeladas e que não dão trabalho. Mas acredito piamente que quando viver sozinha vou tornar-me digna de um frigorífico às direitas.


Eu diria que é o contacto com as pessoas. Estou muito em contacto com clientes e gosto dessa faceta. Simultaneamente, o meu trabalho dá-me gozo porque impõe muita pesquisa e acesso a informação sobre inovação e novas tecnologias, o que desperta a minha mente curiosa.


Estava na praia com uma amiga em Vila Nova de Milfontes, poucos instantes antes de o sol se pôr, e expliquei-lhe que o blogue teria de ser sobre aquilo que me marca ao mesmo tempo que prendi o olhar numa pegada na areia.




Já fiz. Um dia resolvi guardar pacotes de açúcar porque havia tantos e tão diferentes que me dava prazer. Por outro lado, sempre que viajava trazia modelos diferentes e “raros”. No entanto, passou-me rápido e as formigas que entraram no meu quarto deram uma ajuda! Além dos pacotes de açúcar sou grande coleccionadora de frases, das quotes que encontro nos livros, revistas, jornais que leio ou nos filmes que vejo. E tenho vários blocos de notas cheios delas.


Boa pergunta. Gosto muito da manhã, do nascer do dia, do despertar. Embora custe, até gosto de acordar cedo e de sentir que aproveito o dia. No entanto, a noite também é um dos meus momentos favoritos pela calma que traz, por vezes. O início e o fim do dia, são as minhas fases de eleição. O começar, o recomeçar, as oportunidades e o fim, a calma, o nosso momento, as luzes.


Qualidades: sensivel, lutadora, trabalhadora, criativa e amiga. 
Já nos defeitos a pontualidade britânica não abunda pelos meus lados e sou desorganizada: o caos é o meu mundo! Ah e sou um desastre culinário assumido.


Ui, tanta coisa. Quero umas botas rasas curtas da Cat, uma saia peplum, uns mocassins, um casaco tweed, uma doctor bag da Gucci e uma carteira furla. É melhor ficar por aqui. Há muita coisa na minha wishlist e grande parte dela vai lá ficar por bastante tempo.


Topshop. Adoro a topshop. Depois também gosto muito da Asos. Depois sou fã da Zara (que me parte o coração), da Mango, da Oysho e da Women’Secret.


Eu acho que sou clássica em alguns pontos e arrojada noutros. Acho que tenho um estilo casual chic porque gosto sempre de uns saltos altos ou de algo que demarque o outfit nem que seja um batôn vermelho. A beleza e o estilo está mais no nosso estado de espírito e no nosso sorriso do que muitas vezes na roupa que usamos.


O i-phone, preciso de estar sempre contactável. Mas na minha carteira nunca falta bâton do cieiro, perfume, alguma maquilhagem básica, um bloco de notas (para apontar coisas importantes ou mesmo ideias de estilo), creme para as mãos, pente e paracetamol para dores de cabeça. Acho que as mulheres são sempre prevenidas por isso na mala deve estar o seu kit!


Skinny jeans, saltos altos, um vestido preto, uma camisa branca e um blazer.


Inglaterra (Londres) mas temporariamente que eu quero viver em Portugal, não sei se em Lisboa, mas em Portugal.


Tantas! Mas assim prioridades, sem dúvida África. Acho que o fascínio que tenho não se explica. Tenho curiosidade de confirmar tudo o que falam sobre as gentes, de tocar a terra, de sentir os aromas. Quero ir ao Kruger park, a Joanesburgo e a Victoria Falls, no Zimbabwe.
Quero fazer aquelas viagens míticas que marcam uma vida. Não sei se são as cores, os ritmos, o clima, ou o pôr-do-sol vermelho fogo. Acho que é sobretudo a intensidade. Talvez quando lá for saiba dizer-vos o motivo. Miguel Sousa Tavares escreveu no seu livro Manhã de África que é como se tratasse de uma mulher fatal: “há homens a quem não diz nada, há outros quem tenta mas eles resistem, e há outros que são atraídos sem remissão”. Além deste sonho antigo, quero muito ir ao Peru e ao Equador, " metade do mundo", pelas ligações ao grandioso império Inca e por serem rasto da cultura latino americana original. A isso junto Argentina, Cuba e México, bem como a índia. Por fim, não posso deixar de sonhar com uma ida para breve aos EUA, para chamar um “Taxiiii!” à moda de NY, andar cheia de compras pela 7ª avenida e para beber um expresso em pleno Central Park!


As pessoas que escrevem num blogue têm que o fazer por gosto, não a pensar que vão ganhar coisas ou que vão receber produtos. Um blogue é alvo de dedicação e dá muito trabalho. Por isso ponderem bem e façam o que fizerem tenham gosto nisso, porque quem vos lê sente o que escrevem e as marcas, mais do que possa parecer também.



2 comentários:

*C*inderela disse...

Gosto muito do blog da Mia :)
Boa escolha.

Bjokas

Moça dos Padrões disse...

Gostei :)